Quase Vaidosa : Declaração de Importância/Petição Inicial ♥ ♡ ❤ ❥

09/04/2016

Declaração de Importância/Petição Inicial ♥ ♡ ❤ ❥



Ao Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz do Amor de uma das Varas do Coração da Comarca de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, a quem coube por Distribuição Legal.

FIONA, brasileira, estagiária, portadora da Carteira de Identidade nº 000.000 DETRAN/RJ e do CPF nº 000.000.000-00, residente e domiciliada à Rua da saudade, nº 000, bairro Céu do Amor, CEP 00000-000, nesta Capital, através do seu advogado infra assinado, vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência propor a presente

AÇÃO DE DECLARAÇÃO DE AMOR

para GRU,vulgo FULANINHO, brasileiro, soneca, portador do CPF nº 000.000.000-00, residente e domiciliado à Rua lugarzinho, nº 000, bairro Apaixonado, Petrópolis, CEP 00000-000, tendo em vista os fundamentos jurídicos e os fatos adiante aduzidos:

I. Dos Fatos

 A declarante conheceu o Sr. GRU, em uma rede social denominada “facebook”. A mesma demonstrando "total normalidade" adicionou o declarado na referida rede social, ocasião na qual, iniciaram uma conversa informal.
 À primeira vista, a peticionária não pretendia se envolver com ninguém, tinha saído de um relacionamento doloroso e estava a fim de se distrair com as amigas.
Todavia, de acordo com as conversas ambos notaram total afinidade, principalmente em assuntos referentes ao rock, comida e sono (hahah).
Com o decorrer dos dias, as conversas tornaram-se mais frequentes, a declarante se viu sem saída, tendo em vista que o sr. GRU, passou a fazer parte dos dias da FIONA, chegando a um ponto que suas palavras tornaram-se indispensáveis em seu dia a dia, momento em que trocaram o número de telefone.
No mesmo dia, toca o telefone da declarante, que vê, surpresa, a mensagem daquele lindo rapaz. Na mensagem, a declarante se encanta com tudo que é dito pelo declarado; outras mensagens vieram e o encontro…
No encontro, ambos tiveram a interessante sensação de que já se conheciam há um século; na descoberta de um pelo outro, os gostos e atitudes eram tão parecidos que formaram verdadeiras almas gêmeas. Naquele instante, a vontade de ambos era a de eternizar aquele momento.
Passadas algumas semanas, os dois têm certeza da importância que um tem para o outro; nem tudo são flores, até porque, a declarante também não é uma pessoa muito fácil (rsrs) , mas o brilho no olhar de duas pessoas apaixonadas ninguém pode apagar.
A declarante, se vê em um beco sem saída, pois em nenhum momento da sua vida havia conseguido ser ela mesma como nos momentos com o Sr. GRU. Sem máscaras, sem disfarces, era apenas ela. Tudo era tão intenso que a declarante tinha medo, muito medo de se decepcionar, porém como na vida tudo são riscos, infelizmente todo o encanto acabou como em um passe de mágica.
O Sr. GRU, devido a vários problemas pessoais (digamos profissionais), começou a se afastar, ele já não demonstrava todo o carinho como antes, estava sempre preocupado com sua vida profissional e talvez isso tenha afetado outras áreas da sua vida. Ele não percebia, mas a declarante sentia cada distância.
Pela primeira vez a declarante acreditava em alguém de verdade, um amor tranquilo, um amor livre e com uma cumplicidade que a mesma nunca havia presenciado antes. Como alguém poderia ser cúmplice das suas loucuras mais impossíveis e torná-las reais? E eram as melhores loucuras que a declarante havia experimentado.
Era um sonho, e a declarante não pretendia ter acordado jamais!
O Sr. GRU, simplesmente resolveu viver a vida sem a  declarante, alegando que a mesma traria impecilhos para a concretização com excelência dos seus objetivos profissionais. Talvez era e a mesma não conseguia enxergar, como saber?
Passado um tempo, eles se reencontraram, foi tudo lindo e trágico. Nascia uma esperança lá no fundo de que tudo pudesse voltar ao normal, porém ao reencontrar o Sr. GRU, a declarante percebeu mudanças nítidas em seu semblante, seu olhar já não era o mesmo, cada olhar trocado era como se a dor da declarante aumentasse. Ela almejava que tudo fosse diferente, todavia, o que ela não entendia é que não dependia apenas dela, e mais uma vez foi inevitável o afastamento.
E hoje? Hoje, a declarante acha que está fazendo a única e mais ridícula carta que já fez na vida para alguém e corre o risco de ser taxada como louca (se bem que ela é um pouco, hahah).
Hoje, ela já tentou se relacionar com outra pessoa, porém o máximo que conseguiu foi uma bela amizade, pois ao tentar trocar o primeiro beijo, a mesma apenas soube chorar, chorar e chorar, e conseguiu passar uma das maiores vergonhas da sua vida.
Hoje, não tem conseguido se relacionar com ninguém, o Sr. GRU se tornou uma sombra em todas as pessoas que a mesma conhece, todos se tornaram pequenos e insignificantes após a presença do declarado.
Quando perguntam pelo Sr. GRU? Sabe aquela dorzinha lá no fundo que é necessário ignorar para abrir um sorrido amarelo e dizer: Acho que está bem, já passou!
Não Sr. GRU, infelizmente ou felizmente (não sei), não passou. A declarante ainda não entende o que a leva a possuir um sentimento tão intenso, que consegue influenciar tanta coisa em sua vida, e fazê-la magoar pessoas ao seu redor.
Talvez ela só precise chorar, talvez ela só precise aprender, talvez ela esteja cometendo o maior erro da sua vida enviando esta declaração de importância. Afinal, quem possui as respostas?
Talvez o Sr. GRU precise entender que é amado de uma forma inexplicável e que apesar das nossas responsabiliDades, a vida passa muito rápido e o melhor que temos a fazer é aproveitar cada segundinho.
A declarante, na presente peça, pretende manifestar todo o interesse que sente pelo Sr. GRU, a pessoa que soube abrir o seu coração e cativar os seus sentimentos.

II. Do Direito

I.1 – Tendo em vista que o ordenamento jurídico brasileiro encontra-se omisso quanto ao tema em comento, citaremos normas subsidiárias para fundamentar a importância do declarado na vida da declarante.

I.2 – Vejamos o que dispõe a Lei do Amor:

“ Art. 1º – O amor, dom supremo do ser humano, deve ser exercitado por todos, sem diferença de raça, idade, sexo ou classe social.

Art. 2º – Quem ama tem o direito de declarar todo seu amor, a qualquer tempo ou lugar.

Art. 3º – O amor deve ser vivido com toda intensidade, sem restrições de qualquer espécie.

Art. 4º – É dever do amante cuidar, compreender, ajudar, proteger, conhecer, acompanhar, satisfazer e aceitar o ser amado.

Art. 5º – Esta lei entra em vigor a partir do momento em que o ser humano se apaixona.“

I.3 – Muitos são os doutrinadores na área; dentre muitos pensamentos, citaremos o seguinte:

"Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio."
(William Shakespeare)

I.4 – Uma vez estabelecida a importância do amor e a sua existência na vida de todos, é apresentada aqui a declaração  da Sra. FIONA para o Sr. GRU, obedecendo aos requisitos necessários que lhe confere liquidez, certeza e exigibilidade.

III. Do Pedido

Em razão de tais fundamentos, e desejando receber judicialmente o que lhe é devido, requer a declarante:

II.1 – A citação do declarado para que, no menor prazo possível, tome conhecimento da real importância do mesmo na vida da declarante.

II.2 – No mesmo prazo, que o Sr. GRU responda esta declaração informando a atual importância da declarante na vida do mesmo.

II.3 – Que todas as pessoas  do mundo possam ter a experiência de viver um relacionamento, como o que a requerente viveu.

IV. Do Valor da Causa

IV.1 – Dá-se à causa o valor de um milhão de beijos (no Sr. GRU).


Nestes termos
Pede deferimento.

Teresópolis, 09 de abril de 2016.



Santo Antônio
Advogado – OAB/RJ


Esta carta, foi a única coisa "menos ogra" que consegui fazer em algum relacionamento, hahah. Hoje, não estamos mais juntos, porém algumas pessoas souberam desta carta, me pediram e resolvi postar pra dividir com vocês também.

Genteee, é apenas uma brincadeira, não é uma Petição inicial de verdade, rsrs.
Na época, me inspirei em alguma petição que achei na internet, não tenho mais a fonte, se você for o autor original ou conhecê-lo, me avise para que eu possa dar os devidos créditos.

Cadê os apaixonados de plantão? Inspire-se, adapte esta carta a sua realidade atual e envie ao seu mozão, rs. ♥ ♡ ❤ ❥





Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *