Quase Vaidosa : Plágio e a Blogosfera

31/03/2016

Plágio e a Blogosfera




Olá, amores! 

Observei várias "tretas" em relação ao plágio nas redes sociais da vida, por isso resolvi falar deste assunto bem famoso por aí. Tentarei ser o mais informal possível, rs.

Eu poderia citar vários artigos e entrar em detalhes, porém este texto está bem resumido e direcionado aos colegas da área da blogosfera que sofrem muito com este tipo de ação.

Sei que muitos agem sem saber que é crime e outros agem de má-fé, contudo, vai da consciência de cada um e que possamos entender que a internet não é terra de ninguém e que existem leis, mesmo que ainda não tão efetivas quanto gostaríamos.

Ser blogueiro/blogueira/youtuber/vlogueiro ou qualquer criador de conteúdo, exige um trabalho enorme, são horas para elaboração de texto, edição (que as vezes você não gosta, edita, reedita, apaga...), gravação, horas para fotografia, enfim... é um trabalho que realmente dá muito trabalho como qualquer outro. E não... não é tão fácil ganhar dinheiro e não vivemos neste mundo de contos de fadas como muitos pensam. Todos trabalhamos muito e corremos muito atrás, para ter um bom conteúdo, um patrocinador, um parceiro e para as coisas fluírem.

 Por este e outros motivos que é muito sério falar em plágio. 

Mas afinal, o que é plágio?

O tio Google diz o seguinte: apresentação feita por alguém, como de sua própria autoria, de trabalho, obra intelectual etc. produzido por outrem.

Pois é, amiguinhos, plágio nada mais é do que você reproduzir um conteúdo que o coleguinha teve um "trabalhão" para elaborar e divulgar como sendo seu.

E pode ser que você não saiba, mas plágio é crime com pena prevista em lei e o código penal tem uma sessão que trata apenas dos crimes contra a propriedade intelectual.

Crime de Violação aos Direitos Autorais no Art. 184 – Código Penal, que diz: Art. 184. Violar direitos de autor e os que lhe são conexos: Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa. 

§ 1º Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. 

§ 2º Na mesma pena do § 1º incorre quem, com o intuito de lucro direto ou indireto, distribui, vende, expõe à venda, aluga, introduz no País, adquire, oculta, tem em depósito, original ou cópia de obra intelectual ou fonograma reproduzido com violação do direito de autor, do direito de artista intérprete ou executante ou do direito do produtor de fonograma, ou, ainda, aluga original ou cópia de obra intelectual ou fonograma, sem a expressa autorização dos titulares dos direitos ou de quem os represente.

§ 3º Se a violação consistir no oferecimento ao público, mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permita ao usuário realizar a seleção da obra ou produção para recebê-la em um tempo e lugar previamente determinados por quem formula a demanda, com intuito de lucro, direto ou indireto, sem autorização expressa, conforme o caso, do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor de fonograma, ou de quem os represente: Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.

 TIPOS DE PLÁGIO

* Plágio direto

O plágio direto é quando o redator copia na integra  (palavra por palavra) um conteúdo (ideia, texto, imagem, códigos, entre outros) de outro autor sem fazer referência do mesmo ou da obra. Chama-se plágio direto porque, de acordo com a normalização vigente no pais, cópias literais devem ser indicadas com citação direta.

* Plágio indireto

Neste tipo de plágio o redator utiliza suas próprias palavras, porém o texto que ele elabora não é original porque simplesmente diz de forma diversa o que foi consultado em uma fonte específica. Trata-se de plágio indireto, a normatização brasileira determina que tal procedimento seja feito por meio da citação indireta. 
1- O plágio indireto se dá em três diferentes formas. Tais modos serão a seguir tratados.

 1.1- Uso de paráfrase sem atribuição de crédito.
O texto é reescrito pelo redator com suas próprias palavras, porém a fonte de tais ideias é não referenciada. A mudança na forma de apresentação é insuficiente para caracterizar a originalidade, pois na essência o conteúdo é o mesmo.

 *Elaboração de mosaico

O redator faz uso de vários “cacos” de fontes diferentes, organizando as ideias com acréscimo de algumas palavras para que o texto final tenha sentido. Ou seja, torna-se uma sistematização de ideias de outros autores.
 Uso inadequado de chavões
Refere-se ao uso de palavras-chave criados por determinado autor para se referir de modo bastante original a algum assunto.

 *Plágio de fontes

Nesta modalidade o redator reproduz em seu texto as citações utilizadas por outro autor. A forma da citação e até mesmo a fonte consultada é identificada, entretanto, o modo como a informação foi obtida é o que caracteriza o plágio. Trata-se, pois de um conteúdo obtido por outras pessoas e que é utilizado por um terceiro como se ele estivesse consultado o documento original.

*Plágio consentido
É chamado plágio, porque embora tenha a anuência do autor original resulta em uma fraude intelectual. O plágio fica caracterizado porque o leitor é trapaceado ao acreditar que o trabalho apresentado pertence a um autor quando na realidade pertence a outro.

*Auto Plágio

O trabalho acadêmico sempre dever ser original, considerada a necessidade de contextualização do conteúdo em relação a outras pesquisas ou em relação aos próprios estudos que o pesquisador vem fazendo. Nestes casos, é necessário que o autor faça referência de si em seus trabalhos.


Fique atento e veja se já se enquadrou ou se enquadra nos modelos acima.

A simples reprodução do texto integral ou de parte de uma propriedade intelectual e/ou artística tem a denominação de plágio.


Coleguinha, se esforce, perca um tempo maior mas faça um conteúdo seu, tenha orgulho de saber que perdeu um tempo enorme, aprendeu e fez um trabalho de excelência e honesto sem precisar tirar os créditos de ninguém.
A internet tem espaço para todos exatamente por sermos diferentes, cada um trata um assunto de modo diferente, cative seus leitores com o seu jeito, com seu próprio conteúdo, e claro, as vezes amamos o conteúdo de outro coleguinha e nesta ocasião, nada mais justo compartilhar com os devidos créditos.

Por hoje é isso, amores. Espero que tenham gostado.


Fonte:

http://www.portaleducacao.com.br/direito/artigos/50044/o-crime-de-plagio
http://www.webartigos.com/artigos/plagio-e-a-legislacao-penal-brasileira/115500/


Se gostaram deste tipo de assunto comentem abaixo e deixem sugestões!

Beijokas :*



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *